Fale com Suporte
voltar
Compartilhar:
Business Intelligence 3.0: transformar dados em ações específicas!

Business Intelligence 3.0: transformar dados em ações específicas!


Trabalhar com dados já é, há algum tempo, uma prática obrigatória às empresas. Isso se dá porque as informações gerenciadas permitem que decisões sejam tomadas com clareza e com base sólida. Mas como fazê-lo? Para isso, é importante usar a tecnologia, e o Business Intelligence 3.0 marca a estabilização da era digital e os impactos disso na gestão estratégica.

Cada vez mais acessíveis, os dados estão por toda parte, mas para transformá-los em informação e direcionamento é preciso saber como estruturá-los e analisá-los. Afinal, essas informações se tornam base para a competitividade em grandes companhias quando usadas de forma estratégica. 

Neste post você entenderá melhor o que a terceira geração do Business Intelligence proporciona aos negócios. Veja quais são os ganhos e as possibilidades!

Acesso das informações do BI em dispositivo móvel

É inegável que o momento atual na tecnologia tenha grande foco no mobile. Hoje, muitas tarefas cotidianas podem ser executadas usando apenas um smartphone ou um tablet. Pensando nisso, o BI também caminhou por essa direção, adaptando suas ferramentas para que elas pudessem funcionar além de computadores.

As plataformas de gestão e análise de dados já estão disponíveis para smartphones, o que possibilita simplesmente acessar informações estratégicas de qualquer lugar. Essa nova realidade surge em um período em que, cada vez mais, os modelos de trabalho são desconstruídos.

Assim, não é necessário estar em um escritório para tomar decisões importantes. Desse modo, informações em dispositivos móveis são uma possibilidade muito vantajosa!

Maior autonomia do usuário

O Business Intelligence 3.0 tem entre suas características principais a maior usabilidade. Isso representa maior autonomia ao usuário, já que ele pode estruturar sua análise e montar bancos de dados da maneira que preferir. Absolutamente tudo é personalizável e deixa o colaborador à vontade para uma atuação mais estratégica.

É natural que cada negócio tenha suas próprias necessidades e perspectivas, o que impacta a maneira como os dados são tratados. Por exemplo, as fontes de dados importantes para que um sistema de BI se integre pode mudar de uma empresa para outra. Nesse contexto, a autonomia ao usuário permite escolher de onde ele quer captar informações.

Essa liberdade também permite criar KPIs específicos e que sejam relevantes às estratégias da companhia. A partir disso, o usuário constrói um dashboard personalizado, em que ele acompanha os números que mais forem convenientes ao seu trabalho.

Velocidade na análise de informações e ações acertadas

O big data tem papel fundamental no trabalho com dados. Nesse sentido, um volume muito grande de informações vai requerer um esforço maior de organização, compilação e de análise. Mas a boa notícia é que isso não é um problema em relação à produtividade, uma vez que as ferramentas estão cada vez melhores.

Com a tecnologia, esses dados estarão devidamente organizados e categorizados, o que torna o restante do trabalho mais preciso. Assim, colaboradores que atuam na fase analítica estarão em um cenário muito mais cômodo, o que gera maior agilidade nesse período.

Os dados também, quando organizados, proporcionam uma visão mais clara de diferentes perspectivas, como resultados de vendas, retornos de campanhas e de marketing e outros fatores. Desse modo, a percepção de tendências e padrões fica muito mais fácil de ser percebida.

Detecção de falhas nos processos

Já contamos aqui que o desenvolvimento do Business Intelligence 3.0 deixou o trabalho com os dados mais claro e aprofundado. Atualmente, uma análise permite muito mais do que apenas verificar dados relacionados a resultados e outras informações superficiais. Um trabalho mais dedicado também permite detectar falhas nos processos da empresa.

Um problema de UX em um e-commerce, uma campanha de marketing que não teve a segmentação adequada ou poucas opções de pagamento na hora do checkout são exemplos de problemas que podem ser vistos. No entanto, é preciso saber interpretar as métricas, e então estudar as possibilidades.

Se muitos usuários selecionam produtos, mas abandonam o carrinho no checkout, os dados mostrarão isso. Cabe uma análise mais profunda para entender porque as compras não são concluídas. A partir daí, é preciso avaliar hipóteses: o frete é alto? Os métodos de pagamento são limitados? Cruze informações com possibilidades para obter respostas certeiras a longo prazo.

Retorno rápido do investimento

Toda nova estrutura em solução pode representar gastos — implementar o business intelligence 3.0 em uma empresa requer softwares e, além disso, um trabalho de dedicação com treinamentos e o que mais for necessário — mas com a rápida possibilidade de retorno pode-se considerar um investimento. 

É comum avaliar o ROI de mudanças do tipo, e, no caso dessa implementação, o retorno é rápido e garantido. Como as soluções são simples de serem operadas, em poucos dias os colaboradores já estarão adaptados à rotina de dados. Eles não sentirão o impacto de atuar em demandas como a captação de dados em fontes, estruturação das informações e geração de relatórios e indicadores.

Já no primeiro mês é possível ter a percepção da melhoria em relação aos resultados da empresa, como no desempenho das ações de marketing e o aumento das vendas. A partir disso, já é possível tomar decisões estratégicas que mudem o rumo do negócio.

Identificação de oportunidades

Por oferecer uma visão mais clara sobre a empresa e suas atividades, o Business Intelligence 3.0 é uma excelente ferramenta para a melhor identificação de oportunidades. Afinal, os dados são apenas uma tradução em números de tudo o que acontece em uma companhia — e, em meio a informações boas ou ruins, naturalmente é possível entender onde estão os acertos e erros.

Dessa forma, diversos setores estarão interessados nesses dados, do financeiro, passando pelo comercial, até marketing. É sempre importante que colaboradores de todos os departamentos analisem os números para entender o que pode ser feito a partir dali. Uma oportunidade pode ser percebida a partir de uma análise mais profunda!

Na maioria das vezes, os relatórios desenvolvidos para os gestores já indicam essas oportunidades, já que os dados geram muitos insights. Perceber esses indicativos é fundamental para saber agir de maneira estratégica e tomar decisões certeiras, sempre com base nas informações.

A transformação digital proporcionou mudanças e avanços que tornaram o trabalho com dados mais autônomo, simples e descentralizado. O Business Intelligence 3.0 é a realidade atual da gestão e não pode ser dispensado por nenhuma empresa!

Ajude outros gestores e profissionais a entenderem mais sobre o assunto: compartilhe este post em suas redes sociais!

Artigos relevantes

Revolucionando o varejo: o papel do BI nos supermercados

Revolucionando o varejo: o papel do BI nos supermercados


Entre prateleiras repletas e corredores movimentados, se esconde um desafio para todo varejo: entender e satisfazer o consumidor moderno, que…

Leia mais
Transformação corporativa: WAM e Toccato elevam o BI com Qlik

Transformação corporativa: WAM e Toccato elevam o BI com Qlik


Você já parou para pensar no poder que os dados têm para impulsionar o crescimento e a eficiência da empresa…

Leia mais
Tudo sobre o novo curso: Analisar Dados no Qlik Sense

Tudo sobre o novo curso: Analisar Dados no Qlik Sense


Tudo sobre o novo curso: Analisar Dados no Qlik Sense Primeiramente, de você é daqueles que está sempre em busca…

Leia mais

Calcule a sua maturidade em dados